TRABALHOS APROVADOS EM COMUNICAÇÃO LIVRE

 

COMUNICAÇÃO LIVRE

 

PARTICIPANTES:


 

1. SOMBRAS DO PATRIARCALISMO EM “A FUGA”, DE CLARICE LISPECTOR

Débora Lorena LINS (UERN)

José Vilian MANGUEIRA (UERN)

 

2 .A SITUAÇÃO DOS DESAPARECIDOS POLITICOS EM K. – RELATO DE UMA

BUSCA, DE BERNADO KUCINSKI

Iúna Gabriella Costa de Paiva (UESPI)

 

3. VARIAÇÕES NUMÉRICAS EM ANÚNCIOS DE 1930 A 1990 NOS JORNAIS O IMPARCIAL E FOLHA DO POVO

Laissa Pascalle Silva Alhadef Sâmpaio (UEMA)

Mayane Amorim Fernandes (UEMA)

 

4. ANÁLISE DA OBRA INTELECTUAIS NEGRAS

Nataniel Cassoma Kuanza (UNILAB)

Luana Antunes Costa (UNILAB)

 

5. A EDUCAÇÃO (TRANS)FORMA? REFLEXÕES SOBRE A EXPERIÊNCIA DA TRAVESTILIDADE E TRANSEXUALIDADE NO MEIO EDUCACIONAL

Rita Maria Luz Freitas Soares (IFMA)

Juciana de Oliveira Sampaio (IFMA)

 

6. O ETHOS FEMININO NO CONTO DE TORRE EM TORRE DE MARIANA COLASSANTI

Daiane Corrêa da Silva (UFP)

 

7. O SUJEITO CUJA VOZ QUE SAI DO CORPO SE PROPAGA NAS MÃOS: A IDENTIDADE SURDA EM O VOÔ DA GAIVOTA

Amanda Beatriz de Araújo Sousa (UESPI)

Lanna Caroline de Almeida (UFPI)

 

8. NAS ANDANÇAS PELOS BECOS DA MEMÓRIA, DE CONCEIÇÃO EVARISTO

Ana Carusa Pires Araujo (UESPI)

Risoleta Viana de Freitas (UESPI)

 

9. VARIAÇÃO LINGUÍSTICA E A QUESTÃO DE GÊNERO EM O QUINZE DE RACHEL DEQUEIROZ
Michelle Silva dos Santos (IFF)

 

10. MULHERES E IMPRENSA PIAUIENSE: UMA ANÁLISE DA PARTICIPAÇÃO DE LILI CASTELO BRANCO NO JORNAL DIÁRIO DO PIAUÍ DE 1971

Juliana Gomes Martins (UESPI)

Algemira de Macedo Mendes (UESPI)

 

 

11. A CONSTRUÇÃO DA IDENTIDADE FEMININA DA PERSONAGEM ELIZA SOMMERS EM HIJA DE LA FORTUNA, DE ISABEL ALLENDE

José Ivan de Macêdo Borges (UESPI)

Margareth Torres de Alencar- (UESPI)

 

12. A TRANSGRESSÃO ERÓTICA EM HISTÓRIA DO OLHO, DE GEORGES BATAILLE

Ellen Caroliny Pereira Lima Silva (UESPI)

Joselita Izabel de Jesus (UESPI)

 

13. O DISCURSO FEMINISTA DE ANA EURÍDICE EUFROSINA DE BARANDAS E NÍSIA FLORESTA

Sayonara Bessa Cidrack (UFC)

Edilene Ribeiro Batista (UFC)

 

14. A VIOLÊNCIA DOMÉSTICA E FAMILIAR NO BRASIL, UMA CHAGA ABERTA NA SOCIEDADE

Willame Carvalho e Silva (UEMA)